Ressentimento pessoal do motorista de entrega de comida é citado como motivo do tiroteio em frente à Embaixada dos EUA em Beirute nwnews

A polícia libanesa disse na quinta-feira que um motorista de entrega de comida que abriu fogo em frente à Embaixada dos EUA em Beirute na semana passada supostamente o fez por causa de um rancor pessoal contra os guardas do complexo.

A polícia disse ter prendido o suposto atirador na segunda-feira, identificando-o apenas pelas iniciais MK e que posteriormente ele confessou o tiroteio.

Eles citaram uma suposta confissão dele, dizendo que estava chateado porque os guardas o haviam insultado dois meses antes, quando ele veio entregar uma ordem.

A Associated Press não conseguiu verificar essa afirmação de forma independente.

Ninguém ficou ferido no tiroteio no subúrbio cristão de Aukar, no nordeste de Beirute, que deixou pelo menos cinco buracos de bala na parede próxima à entrada da embaixada.

Briga entre armênios libaneses, polícia de choque, irrompe fora da Embaixada do Azerbaijão

A polícia disse que durante a prisão, as forças de segurança confiscaram uma AK-47, uma faca e a motocicleta de entrega de comida do atirador. O rifle estava supostamente escondido em uma sacola de entrega de comida e o atirador mudou sua rota para chegar ao complexo da Embaixada dos EUA para evitar os postos de controle do exército libanês na estrada principal.

O Líbano tem uma longa história de ataques contra americanos. O mais mortífero ocorreu em Outubro de 1983, quando um camião-bomba suicida atingiu um edifício de quatro andares, matando 241 militares americanos no quartel da Marinha dos EUA no aeroporto de Beirute.

Investigador do Exército Libanês

Um investigador do Exército Libanês coleta evidências forenses do lado de fora da Embaixada dos EUA em Aukar, um subúrbio ao norte de Beirute, no Líbano, em 21 de setembro de 2023. (Foto AP/Hassan Ammar, Arquivo)

Em 18 de abril de 1983, um ataque a bomba à Embaixada dos EUA matou 63 pessoas, incluindo pelo menos 17 americanos. Altos funcionários da CIA estavam entre os que morreram. Autoridades dos EUA culparam o grupo militante libanês Hezbollah, apoiado pelo Irã. Após esse ataque, a embaixada foi transferida do centro de Beirute para Aukar.

Um ano depois, em 20 de setembro de 1984, um homem-bomba atacou o complexo da embaixada em Aukar, matando a si mesmo e a outras 14 pessoas, o que levou ao fechamento da embaixada.

Os Estados Unidos retiraram todos os diplomatas de Beirute em Setembro de 1989 e não reabriram a sua embaixada até 1991.

CLIQUE AQUI PARA OBTER O APLICATIVO FOX NEWS

Em 2008, uma explosão teve como alvo um veículo da Embaixada dos EUA no norte de Beirute, matando pelo menos três libaneses que estavam perto do carro e ferindo o seu motorista libanês. Um transeunte americano também ficou ferido.

Em 1976, o Embaixador dos EUA Francis E. Meloy Jr. e um assessor, Robert O. Waring, foram sequestrados e mortos em Beirute. Em 1984, William Buckley, chefe da estação da CIA em Beirute, foi raptado e morto pelo grupo Jihad Islâmica apoiado pelo Irão.

Source link

Check Also

Stanley tem uma grande promoção na Amazon – 7 ótimas ofertas que eu compraria agora por apenas US$ 22 nwnews

A Stanley é uma empresa conhecida por suas garrafas e copos de água modernos, coloridos …

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *